Conto: Nossa primeira vez numa casa de swing

Olá, hoje quem escreve é o Diego. Vou contar pra vocês como foi minha primeira vez numa casa de swing com a Bruna.

Bem, desde muito cedo nós já mostramos um ao outro que somos bem safados e sempre falamos em ir em um club de swing, mas demorou quase um ano para que realmente fossemos até o lugar. Fomos em uma casa aqui chamada Swing Club BH, em uma sexta feira para conhecer o ambiente.

Chegamos e na pista já estava animado. Alguns casais dançavam se esfregando, e havia também uma morena e uma loira (strippers) na pista com roupas bem provocantes dançando com os casais e mulheres. Gostamos do ambiente e para comemorar nossa ida pedimos logo uma garrafa de champagne. Já estávamos um pouco alcoolizados porque já saímos de casa calibrados, rs.

Eu via os casais na pista de dança se esfregando e o tesão começou a aumentar. A stripper morena veio perto da gente e dançou próxima, esquentando o clima. Estávamos bebendo cada vez mais depressa para vencermos logo a garrafa. Nossa intenção não era fazer troca. Queríamos fazer sexo em público, e se rolasse, achar uma mulher para ficar com a Bruna. Estávamos sentado em uma mesa, mas já não conseguíamos manter as mãos longe um do outro. Era uma pegação total. Finalmente acabamos a garrafa de champagne e não tivemos dúvida: fomos direto para um quarto reservado. Trancamos o quarto, mas ele possuía uma janela enorme que iria permitir que os “curiosos” nos observassem. Era exatamente o que queríamos.

Já comecei indo pra cima de Bruna, ela estava com um sorriso safado na cara, que pedia que eu a pegasse forte e a comesse com voracidade. Bruna adora apanhar e ser submissa. Dei um tapa na cara dela e subi seu vestido, pegando forte nas suas coxas e trazendo ela pra mim. Não tinha espaço pra preliminares naquela situação, o tesão era grande demais. Abaixei minha calça e ela me ajudou afastando a calcinha para o lado: meti. Meti gostoso, meti fundo. A xana dela estava meladinha e só ouvi um gemido alto. Bati na cara dela de novo:

– Tá gostando puta? Então geme. Geme pra que toda a casa possa ouvir e vir te ver.

Eu não havia percebido, mas já tínhamos ‘companhia’. Um casal nos observava pela janela. Me deu mais tesão, meti com força e depressa. Entre gemidos, Bruna falava comigo: “me fode, meu macho, meu homem… aaaaii”. Virei ela um pouco, de forma a sua bucetinha ficar mais visível para os espectadores e comecei a meter mais devagar, mas fundo, permitindo observar o movimento do meu pau entrando naquela buceta maravilhosa.

Logo aumentei o ritmo de novo, e pus as pernas dela sobre meus ombros com seu salto alto ainda nos pés, ela sempre goza dessa forma. Fazia caras de que não estava aguentando e oscilava entre momentos em que gritava e outros em que abria a boca mas não conseguia emitir som nenhum. Eu já sabia o que significava: gozo. Aumentei a velocidade e fiz Bruna gozar gostoso.

Nos recompomos. Voltamos para a festa e observamos alguns casais transando em quartos como esse. Mas no fim, gostamos mais do último andar da casa, onde tem uma cama gigante no centro e alguns sofás espalhados nos cantos. Observamos alguns casais e chegamos até a receber uns convites, mas não era isso que queríamos. Logo Bruna falou comigo, “você não gozou ainda, vou te chupar aqui no meio de todo mundo!”

Adorei a ideia. Foi um boquete espetacular, a Bruna sabe pagar um como nunca vi. Ela põe as bolas por inteiro na boca e puxa de forma sensacional, e depois lambe da base até a cabeça. Ela me chupou por uns bons minutos, enquanto eu assistia dois casais muito próximos da gente transando. Chupou até eu gozar na sua boca maravilhosa, e ela engoliu tudinho.

Demos mais uma volta na casa e observamos mais alguns casais. O tesão não passava. Ainda tomamos uma tequila. Mas no fim voltamos ao mesmo último andar. Coloquei Bruna em um sofá, abri suas pernas e agachei a frente daquela buceta maravilhosa e caí de boca. Em poucos minutos, a sala já estava cheia. Um casal sentou do nosso lado e logo senti uma mão se aproximando da buceta dela. Já havia tido que desviar a mão de alguns homens, mas vi que era uma mulher então deixei. Até ajudei a encontrar o caminho da bucetinha dela. Bruna gemia com as dedadas de uma desconhecida e eu ainda chupava sua buceta. Logo vi que essa mulher havia caído de boca nos peitos de Bruna, e depois Bruna devolveu o favor e lambeu os peitos dela.

Essa mulher, enquanto chupava os peitos de Bruna, tinha seu parceiro atrás dela a encoxando, um homem chupando sua buceta, uma outra mulher chupava o pau deste, e um último dedilhava essa mulher! Uma orgia completa! Aumentei a velocidade e fiz Bruna gozar. Ela derramou muito líquido na minha boca e engoli tudo.

Adoro o gosto de buceta. Pra mim é inconcebível que qualquer homem tenha nojo, tem que ser viado mesmo…

Depois disso voltamos para casa, felizes e realizados. Ainda queremos uma mulher para transar conosco novamente, de forma apropriada. Se você quiser ser essa felizarda que vai ter duas pessoas dedicadas em te dar prazer, nos contate: casalatraentebh@outlook.com

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s